Horcruxes Rpg - Welcome to the new world
 
InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Durante anos, a existência da magia e dos próprios bruxos fora mantida em segredo, com os cuidados do Ministério da Magia. Mas agora, algo ameaça isso que eles tanto prezam. O que pode acontecer se as opções escolhidas no passado colocarem em risco o futuro?

Nos últimos tempos, o controle de criaturas mágicas tem sido muito mais rígido, devido às ações de segurança do, então eleito, novo ministro da magia. Segundo ele, essas criaturas inferiores não necessitam de metade dos direitos impostos por seu antecessor.

Seguindo suas ordens, o Ministério passou a controlar o número de indivíduos de cada raça, assim como demarcar o seus territórios mais rigidamente. Com o controle e o território rigidamente estruturados, as condições foram de mal a pior, e como conseqüência algumas raças começaram a se rebelar.

A noticia da extinção de uma delas incentivou a criação de um grupo contra o ministério. O profeta diário, diz ser de fonte segura a informação publicada na edição do dia 29 de Setembro de 2052, a qual afirma que há no mínimo dois representantes de cada raça, aparentemente liderados por um centauro.

Murmúrios levaram os acontecidos até Azkaban, mesmo o ministro tentando pessoalmente abafar o caso. O movimento nas poucas celas ocupadas começaram a surgir, e pouco tempo depois houve uma inevitável fuga, ocasionada pela falta de atenção do ministério para com a vigilância de seus prisioneiros.

Apesar dos grandes esforços na busca, alguns deles ainda não foram encontrados, e por esse motivo o ministério precisou se manter alerta para este fato também. Os problemas começaram a surgir e estão cada vez pior, as esquinas nunca foram tão ameaçadoras. E agora, o Ministério sozinho já não é o suficiente.


Período - What's going on now?


Dia: 25/11/2052, Segunda-feira
Início do Período: 29/05/2010
Fim do Período: 25/07/2010
Tempo:
9°C, tempo frio e ventos leves, intensificados à noite.
Lua: Cheia
Ações: tempo livre dos alunos em Londres
Aulas: Período livre de aulas






Rodrigo
Felipe
Amily
William
Amanda
Ramires



Slytherin 149
Gryffindor 085
Ravenclaw 111
Hufflepuff 108




The Star

Sorata Matsuri
A pirralha. Dentre as pessoas ali ela seria a primeira que eu imaginaria negando-se a aparecer. Kamui rodou os olhos quando encerrei a conversa amigável que estávamos tendo e fui na direção da mesa. Do modo silencioso que me aproximei, seria improvável que ela tivesse notado minha aproximação, já que estava de costas.

- pensei que seria a última pessoa que veria por aqui... – comentei, quando estava próximo, cruzando os braços enquanto observava sua figura.


The Villain

Lúcifer Deimos
- Você agindo desta maneira me parece mais um gatinho acuado do que um anjo , Gabriel.

Lucifer riu da tentativa falha de gabriel de lhe assustar e com a mão que ainda lhe prendia voltou a lhe prender conta a parede desta vez apertando seu corpo contra a mesma, e fazendo com que a Varinha do Enkelis caísse no chão.

- Não precisa ter medo, deixe-me começar e você vai pedir por mais.


The Gentleman

Ongaku Matsuri
- Calma, calma... eu tenho um plano! - fez uma pausa imaginando que palavras usar - Você deve ter percebido que eu andei sumido por estes tempos, não? É por que eu estava treinando uma magia antiga, é uma técnica antiga que já foi usada por alguns bruxos muito poderosos para defender seus tesouros. - achou melhor não comentar que foi usado, também, para eliminar inimigos - Eu aprendi a fazer inferis! A frase saiu muito pior do que ele havia imaginado, agora ele parecia ser um maníaco. Magia das trevas, quebrar regras básicas do colégio e se colocar em risco. O mal estava feito, nada mais se podia fazer, a não ser esperar para ver o que o primo acharia disto.

The Lady

Júlia de Andrade
Mas antes de subir, encontrei com Seto. Ele parecia meio indeciso sobre de onde assistir o jogo e eu realmente tive de sorrir com isso. Ele era um grifinório, o natural seria torcer pelos vemelhinhos, mas Marcelo era um dos melhores amigos dele e primo e Akane... Bom Akane era a irmã dele.

Acho que realmente ficar na arquibancada da grifinória e acabar acidentalmente ouvindo alguém incitar um batedor a lançar um balaço nela não seria algo lá muito saudável para ele... Ou para quem disse tal coisa, óbvio.

- hn... Sabe, você podia esquecer da sua casa e subir comigo – disse apontando a arquibancada da corvinal. - melhor que ficar indeciso no meio do caminho. Eu sei que você vai acabar torcendo pelo Marcelo e a Akane de qualquer maneira... – disse dando de ombros.


The Comedy

Kimihiro Matsuri
Eu quero ver, quero quero quero quero quero! Nhaaa será que meu Onii-sama deixaria eu ver o caderninho dela? '0' Não custa perguntar né? Afinal, quem tem boca vaia a Roma, no caso, fala com o irmão misteriiii~

Logo ela saira da biblioteca e eu ficara sozinho com Sorata. Pela primeira vez no dia estávamos a sós e juntos. Assim pude fazer aquilo que eu queria fazer desde manhã cedinho. Abraçar meu irmão com força até esmagar ><'' Um abraço forte e quente era o que eu costumava dar em meu irmão quando estávamos juntos. Eu me sentia confortavel perto dele, protegido literalmente '0'

-Aquela pasta, me deixou confuso. Desde quando você escreve partituras? Não me contou algo assim, que cruel ;3;''


The Romance


Guilherme de Andrade e Gabriel Enkelis
- É só um abraço... Certo? – perguntou, um pouco de hesitação era visível no tom de sua voz o qual Gabriel provavelmente notou.

– Não Guilherme, é só um pretexto para eu te agarrar aqui mesmo e te beijar... – Disse Gabriel serio para Guilherme quando o mesmo questionou o seu pedido de abraço, depois um sorriso bem calmo apareceu no rosto do sextanista. – Brincadeira. - antes que se arrependesse da sua decisão ou Gabriel continuasse a falar, Guilherme encurtou a distância, o abraçando de uma vez.

Era ao mesmo tempo estranho, mas nostálgico. Parecia ao mesmo tempo certo e errado... E ele não conseguia definir aquela situação com palavras por que, sempre que tentava, elas pareciam contraditórias demais...


The Moment

Telbalt Yura
Logo ele notara que alguém começara a cair da vassoura. Mas que coisa, mal começara a temporada de Quadribol e Tebalt já teria a chance de atacar alguém que sanguraçe no meio do campo. Seria uma cena épica. O vampiro lutando para se controlar enquanto aquele sangue fresco escorrega sobre a grama molhada pela chuva de madrugada. Seria uma sensação de extremo agrado...Prazer. Afinal, não havia nada melhor que o sangue fresco de alguém.

-Será que ela chega ao chão...?-Falou bem baixinho e mentalmente torcia para que sim, queria sangue...Queria muito sentir o cheiro, só de pensar já começava a sofrer as alterações corporais.





Horcruxes Rpg


Para fazer parcerias com o nosso fórum, logue na conta Parcerias com a senha parceria123 e mande uma mp para The Locket com o link do seu fórum e o código do botton. Assim que o nosso for adicionado às parcerias, estaremos adicionando o seu:


Two-Way Mirror RPG The Requiem ImperiusNova EraGOD BLESS UMinistry Of Magic RPGPoint MeDrumstrang rpgFórum grátis



Horcruxes Rpg é hoje uma realização de Rodrigo, Will, Lipe, Vanne, Rami, Amily e Amanda. Nossos agradecimentos também a Bel e Miguel que nos ajudaram no início do fórum a tornar isso possível.

Layout do fórum por Amanda com imagens retiradas do site Deviantart. Código do css-base por esmé do RCR com modificações e adaptações feitas por Amanda.

O conteúdo, no entanto, foi baseado nas obras de J.K. Rowling, com adaptações para a trama e história do jogo, mas nós não temos nenhum lucro com isso.

Creative Commons License

Horcruxes Rpg © 2009

Compartilhe | 
 

 Novalee Marie Lavender ~

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Novalee Marie Lavender
Gryffindor - 6º Ano - Monitor (a)
Gryffindor - 6º Ano - Monitor (a)
avatar

Mensagens : 16
Idade : 23
Player : Aninha

Força : 1
Constituição : 4
Agilidade : 4
Inteligência : 5
Destreza : 4
Mira : 4

Warning :
Exp :
0 / 1000 / 100


MensagemAssunto: Novalee Marie Lavender ~   Qui Nov 05, 2009 10:29 pm


    &&_Player_&&


    Nome: Ana Maria Faria Esteves
    Idade: 15 years
    Contato: annemarie_was_anamaria@hotmail.com
    Quais os livros de Harry Potter que você já leu? All of them
    Quais os filmes da saga Harry Potter que você já assistiu? All of them
    Já participou de outros fóruns de RPG? Quais? Oh, so many others! Fidelius Charm, Prisma RPG, etc, etc.
    Já possui outros personagens nesse fórum? Quais? No, no.


    &&_Caracther_&&


    Nome: Novalee - Idéia genial da mamãe, por o nome da filha de filhote de... Bem, o xingamento, no caso, foi pior pra ela. O bom que a sugestão veio da minha tia Kathryn. Ah, como eu queria ter sido ela. Aí ela ir ver o que é bom u.u - Marie - Olha só, o nome da vovó. Não ficou maravilhoso combinado com o “Novilha”? Bem, é isso que o papai achou na hora de me registrar no cartório. Será que o povo que trabalha lá não tem pena das pobres crianças? – Lavender - Pra completar a festa com chave de ouro: Lavanderia. É demais agüentar as piadinhas que fazem comigo. Fazer o quê, mamãe e papai acham bonito u.u. Resumindo, se você tiver preguiça de ler tudo o que eu pus ali em cima, com tanto carinho, com tanto amor e com tanto floreio: Novalee Marie Lavender, o prazer de conhecer meu nome é todo... SEU!

    Idade: 16 anos - Olha só, eu já posso até dirigir. Não é uma coisa emocionante, poder pegar no volante? Até rimou *-* Minha carteira de motorista, infelizmente, é inútil quando estou na escola.

    Data de Nascimento: 10 de abril de 2036. - Ah, mas esse foi um belo dia de primavera. Pelo menos seria, se não fosse o aniversário de morte do meu avô, e minha mãe não tivesse começado a sentir as dores do parto no cemitério. A melhor homenagem que eu podia fazer ao camarada morto. E eu juro que, se tivesse nascido homem, teriam arranjado um jeito de por meu nome igual ao dele. Escapei por pouco. Mas nem sei se a minha sorte é tão grande assim.

    Local de Nascimento: Ah, isso é fácil de responder: Vancouver, Canadá - Sabia que a temperatura de lá chega, no inverno, a mais de trinta graus abaixo de zero? Sorte a minha que eu nasci na primavera. Senão, lá iria ser visto o bolinho de cobertores me envolvendo pra não ficar doentinha.

    Ano Escolar: 6º Ano - Mais dois aninhos estudando. Mas tudo bem, eu tenho certeza que vou sobreviver a eles. O que são dois, pra quem já teve cinco?

    Onde mora durante as férias: Amsterdã, Holanda – Nossa, você deve ter pensado agora: Como essa menina nasceu no Canadá, mora na Holanda e foi parar estudando na Inglaterra? Mistério, mistério. E ele será resolvido na história, que está láááá embaixo.

    Raça: Gente, eu vou assumir que na verdade eu não sei. Se a minha mãe é nascida-trouxa, e o meu pai é nascido-trouxa, e a coisa mais rara de se acontecer é os dois casarem, o que eu sou? o.o Mestiça? Nascida-trouxa, também? Eu só sei que sangue-puro eu não sou de jeito nenhum, nem quero, bando de povo exibido u.u

    Varinha: Aê, chegou aonde eu queria. Essa parte é legal, porque é onde eu posso falar como foi comprar a minha varinha:

    Era uma vez, uma criança feliz e saltitante, que saiu para comprar a varinha mágica (não, não é de condão u.u), entre outros materiais para a escola, acompanhada da tia Karenna e do irmão Louis. É, porque mamãe e papai estavam muito ocupados, aproveitando o pouco tempo que têm sem o Louis dentro da casa. Até na época eu já sabia o que eles aprontavam, mas tudo bem. Eu me lembro de tudo tão bem, parece que foi ontem. Até da roupinha que eu usava, e das luvas brancas. Talvez eu lembre disso porque o carinha lá, o tal do... Eu esqueci o nome dele, desculpa.

    Enfim, o artesão que fez a varinha, ele pediu pra eu tirar as luvas, depois de um tempo em que passamos, mais ou menos uma hora, só testando as varinhas da loja. Pode ser interferência, disse ele. Mas, ainda assim, levou mais meia hora pra ele achar o tal pedaço de madeira que me serviria. A essa altura, eu já tinha arrancado folhas do livro de contabilidade dele, quebrado uma das prateleiras da estante, e ele estava muito meio bravo comigo. O grito: FINALMENTE deve ter sido escutado no vilarejo inteiro.

    O vendedor quase teve um treco quando eu pedi pra ele colocar enfeites na madeira. Eu tenho a leve impressão de que ele queria se ver livre de mim logo, sabe, não sei por que. Então ele banhou a varinha com tinta especial lilás e escreveu no punho da varinha, com um feitiço especial lá que eu aprendi no ano passado, em linhas de bronze: N. M. L.. Acho que nem preciso dizer o que significa. E, ao invés de pontinhos, se você olhar bem, são corações, depois das letras. Até que o carinha caprichou, olha só. Eu saí de lá, quando a tarde já estava no fim, com a varinha de seguintes especificações: 17 centímetros, bétula, pena de fênix.

    Esse treco é tão fiel à mim, que até eu tenho medo dele às vezes. Tipo, uma vez a minha prima Anne pediu ela emprestada pra remover uma espinha. O rosto dela ficou, tipo, cheio de acne, e lá vai titia Kathryn correr pra reverter o_o Depois disso, eu sempre aviso, pelo próprio bem das pessoas, que é perigoso pegar ela. Mesmo com o meu consentimento. Nunca se sabe o que ela pode fazer fora das minhas mãos.

    Possui algum animal de estimação? Qual? Ah, é aqui que eu tenho que admitir um segredo: Eu tenho um amor. O nome dele é Matt, ele é branco, fofo, tem os olhos azul-claros e... quatro patas. Huahuahauhuahauha, te peguei direitinho, não é? Eu sei que você estava pensando que era um garoto, eu sei, tenho certeza u.u Mas não, ele é melhor do que muitos caras que a gente encontra por aí *-* E, pra constar, a minha relação com ele foi, tipo assim, amor à primeira vista. Quando eu entrei na loja de animais pra comprar ração pra coruja do meu irmão, ele olhou pra mim, eu olhei pra ele, e a química aconteceu. Foi tão incrível, meia hora depois ele já estava enroladinho em cima da minha cama. Meu lindo e peludo gatinho sagrado da Birmânia. *-*

    Possui alguma habilidade ou item especial? Qual? Não é uma coisa que a gente realmente quer ser, nem é tããão especial assim. Porque você recebe a ‘intimação’, junto com a lista de material. E eu recebi a minha há pouco menos de um ano. E eu devo assumir essa grande responsabilidade de ser Monitora.

    Avatar: Dizem que eu pareço muito com uma atriz norte-americana do tempo da vovó, Evan Rachel Wood. Conversa fiada, eu sei que sou muito mais bonita do que ela.


    &&_Points_&&


    Seu personagem terá 22 pontos que será distribuído nos itens abaixo, o máximo em cada item é 5 pontos e o mínimo é 1 ponto.

    Força: 1
    Constituição: 4
    Agilidade: 4
    Inteligência: 5
    Destreza: 4
    Mira: 4

    Caso escolha possuir alguma habilidade especial, deverá distribuir apenas 19 pontos de atributo.


    &&_Selection_&&


    Grifinória: Os que têm a coragem em seu coração


    &&_My History_&&


    O quê? Eu vou ter que falar mais ainda de mim? Mas que povo curioso pela vida alheia, meu Merlin. Isso é um absurdo! O que eu ainda poderia contar? Ah, ok, ok, ordens são ordens, então eu vou obedecê-las. Sentem-se aí, criançada, e fiquem confortáveis.

    Era uma vez, em terras distantes, um pequeno reino. Nele havia um rei e uma rainha. Claro que eu estou falando de mamãe e papai. Nada mais clara, óbvia e evidente. O problema é que eu queria que essa parte da história fosse verdade. E não é. Eu não sou uma princesa. Não daquelas que usa coroa na cabeça. Quer dizer, eu usei uma quando tinha lá meus cinco anos de idade, e fui em uma festa à fantasia vestida de Cinderela. Conhece esse clássico da Disney?

    Enfim, vamos voltar para o princípio. Ou melhor, antes do princípio, se contarmos o princípio como o tempo em que eu vim ao mundo. A história começa a ser interessante bem antes disso, então, vamos ouvir!

    Vovô Sidney (viu porque o nome seria ridículo?) era um bem-sucedido empresário canadense. Ele conheceu vovó Louise em uma de suas viagens a Toronto, ela trabalhava na agência de viagens e, assim que o olhar dos dois se encontrou, ele soube que teria que levá-la com ele na volta para Vancouver. Aí você me pergunta: Se ela tinha somente vinte anos e ele trinta e dois, o que a família dela achou disso? Nada. Aí você me pergunta de novo: Como assim, nada? Bem, antes de voltar para a cidade, ele fez questão de se casar com ela. Eu realmente queria achar um cara como a vovó achou o vovô, tipo, foi tudo tão romântico, impulsivo e deu tão certo no final, que eu fico com um pouquinho de inveja.

    Depois de três anos, o meu pai nasceu. Lindo, loiro, alto e forte (Okay, ele nasceu feio, miúdo, careca e com cara de joelho, como todo bebê u_u’). Mas a vovó garante que ele era fofo a valer. O nome dele? Thomas. Thomas Augusto Lavender. Olha aí de onde surgiu a lavanderia-mor. Será que o meu ancestral que criou esse sobrenome gostava de lavar roupa? o_o

    Com cinco aninhos de idade, o papai conseguiu realizar a primeira magia: Pintar o cabelo da tia Victorie de verde. É que, tipo, ela é a irmã mais velha, e não queria deixar ele andar de bicicleta. Aí que o bicho pegou. Por que ninguém antes na família tinha demonstrado nenhuma habilidade mágica. Ou seja, se um bondoso bruxo não tivesse sido, curiosamente, informado do caso e explicado tudo direitinho pros meus avós, não sei nem onde o papai iria estar uma hora dessas, juro. Ah, vocês querem saber se o cabelo da tia Vicky voltou ao normal? Claro, claro, depois que ela encheu o irmão de doces u.u

    Dadis foi para a Bruxas de Salém, que ficava a noroeste dos EUA. Foi de lá que ele recebeu uma carta, aos doze anos, comunicando que ele havia sido chamado para praticar e aprender mais sobre magia. Estudou por sete anos. Segundo ele, os sete mais longos e mais chatos anos da vida dele. Mas eu garanto que ele só fala isso pra não deixar a mamãe chateada. Ela é um pouco ciumenta, sabe, se ele dissesse que foram os melhores anos da vida dele, ela seria capaz de nunca mais olhar pra cara do mesmo. Depois ela diz que não exagera. Humph.

    Falando da mamãe... É hora de começar a história dela, não é? Pois bem, ela nasceu na cidade mais linda que existe nesse mundo: Amsterdã. O que não são aquelas tulipas na praça central... O que não foi dar o meu primeiro beijo no meio daquelas flo... Opa, peraí, isso já é coisa minha, não da minha mãe, VOLTAANDO pra história da mamãe u.u Ela é taurina. Acho que isso pode definir muito bem tudo sobre ela. Se você não for leigo em horóscopos, claro. Eu, particularmente, sou meio fanática pelos mapinhas astrais. Mas estamos fugindo do assunto de novo.

    Ao contrário de vovô Sidney, que quase pôs o papai no hospício, vovô Jean já tinha lidado com magia antes. É, porque tia Kathryn já tinha demonstrado que tinha os seus dons. A caçulinha Haydeé não seria diferente não é? Vovó Marie é que teve que pagar o pato, dessa vez. Depois de um bico muito grande porque não queria ir pra aula de balé, mamãe começou a brincar de mexer nos vidros da casa. Não, ela não abria e fechava janelas. Ela as fazia tremer só com o pensamento. Vovó, ao invés de reclamar, até que gostou da idéia: Ah, eu tenho duas filhas especiais. Pobre titio Phillipe. Sorte que nunca ficou traumatizado por não ter sangue mágico. Mas, se você quer saber, ele se casou com uma bruxa! E o primo Bernard é que nem eu, bruxinho. Pena que ainda não tem muita consciência disso. Só tem três anos de idade, a pobre criatura.

    Mamãe estudou em Hogwarts. Um monte de lugar a chamou , ela sempre foi muito talentosa. Mas o lugar mais perto era a Grã-Bretanha, vamos combinar, é só atravessar o Mar do Norte e já estamos na Inglaterra! Então, pra lá ela foi. Foi escolhida pra Corvinal. Será que é por isso que o papai até hoje chama ela de Nerd? Sempre muito responsável, sempre muito tudo, eu quero ser igualzinha a ela um dia *_* Depois de sair de Hogwarts, ela logo arranjou um emprego no ministério, tipo assim, uns dois anos depois, bem mais rápido do que qualquer outra já havia conseguido.

    Como essas duas pessoas, tão diferentes, se conheceram, se apaixonaram e se perderam no amor um do outro pra gerar alguém tão lindo como eu? Bem, seguinte: Papai sempre foi meio... Lerdo pras coisas. Na verdade, ele gosta de curtir a vida. Já que a titia Victorie se dispôs a cuidar das empresas, desde pequena, ele preferiu aproveitar a mesada gorda que sempre recebeu do vovô e conhecer o mundo.

    Primeiro destino: Itália. Ah, Veneza... Florença... Roma... Ok, chega, ele visitou, achou lindo, legal, mas nada o chamou a atenção. Segundo destino: Franca. Ah, Marseille... Nice... Paris... Ok, chega de novo, vamos direto ao ponto. Terceiro destino: Holanda. Se existia um quarto, podem ter certeza de que ele D-E-S-I-S-T-I-U depois de conhecer a mamãe. Ela estava sentada no banco da praça, à meia-luz do crepúsculo, lendo um livro. Ele diz que nunca se esquece do cachecol mal-colocado que saiu do pescoço dela e fugiu junto com o vento. Ele o encontrou, e buscou sua dona. No momento em que vi os olhos castanhos, percebi que ela era a mulher da minha vida, é o que ele sempre conta pra mim, ou pra todos que agüentam ouvir a história mais de uma vez.

    Mas, se essa história não existisse pra ser contada, meu irmão Louis não existiria, Cecille não existiria, e o pior de tudo: Eu não existiria. O papai não ajudou muito na história. Ele deu a pior cantada existente nesse mundo de Deus: Você vem sempre aqui? Céus, o meu mundo caiu quando mamãe me contou essa. Sorte a dele que ela achou superfofo ele tentar conquistar ela de um jeito tão bobo, e chamou ele pra sair.

    (...)

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Novalee Marie Lavender
Gryffindor - 6º Ano - Monitor (a)
Gryffindor - 6º Ano - Monitor (a)
avatar

Mensagens : 16
Idade : 23
Player : Aninha

Força : 1
Constituição : 4
Agilidade : 4
Inteligência : 5
Destreza : 4
Mira : 4

Warning :
Exp :
0 / 1000 / 100


MensagemAssunto: Re: Novalee Marie Lavender ~   Qui Nov 05, 2009 10:35 pm

    Nessa saída, eles tomam uns drinques a mais e... Tcharam! Ela fica grávida do Louis. Tipo, a vovó Marie não gostou disso NEM UM POUCO. Mas o papai gostou até demais. Era o melhor motivo/pretexto/razão existente pra ele ficar junto dela pra sempre. Mamãe é que não foi muito com a cara de ficar com aquele barrigão enorme. Então, eles se casaram um mês depois, e o meu maninho apareceu com aquelas bochechas fofas a lot que ele tem, sete meses depois.

    Dois anos depois, chegou a minha vez de ser inconveniente. Papai esqueceu da camisinha depois de uns drinques a mais (eu juro que deveriam deixar as garrafas de vodka longe dos dois), e três semanas depois, a mamãe que não parava de cair de sono pelos cantos, ou de por pra fora todas as refeições do dia, resolveu fazer o teste e não se surpreendeu com o resultado. As duas linhas azuis mostravam: Ela estava grávida, de novo. Papai não podia estar mais feliz. Até o Louis ficou animado quando entendeu que ia ganhar um companheiro de brinquedos.

    Mamãe foi meio boba dessa vez, e não quis saber o que eu era. Comprou MONTES de roupas amarelas e verdes, que insistem dizer que são unisex. Ela falava que seria sem-graça saber se eu era menino ou menina. A vovó tinha certeza de que eu era o que eu sou, ou seja, menina, cor de rosa e lilás u.u Então, por isso, eu não tive só cores blasé no meu guarda-roupinha branco e fofo de bebê, graças à ela *-*

    Para a infelicidade da família lavadeira inteira, o vovô morreu. Parece que o pobre coração de sessenta anos não agüentou depois de tantos cigarros. Câncer no pulmão. Porcaria de pedaço de papel envolto em ervas que matou o vovô, poxa, tanto que a vóvis avisou ele que ia fazer mal um dia... Papai e, logicamente, mamãe, foram imediatamente para Vancouver, assim que souberam, para presenciar o enterro. Como podia ser perigoso viajar, mamãe assegurou-se com dois médicos que não teria problema nenhum ela estar grávida de sete meses, mas que não deveria sofrer fortes emoções. Conta outra, mamãe é teimosa e ficou nervosa na hora do velório.

    Essa parte, se não fosse pela morte do vovô, até que seria engraçada. Ela deu um grito, e a palavra foi tão estranha, que o cemitério inteiro se assustou. Só existem duas possibilidades da palavra merda ser pronunciada em uma situação dessas, por uma mulher aparentemente educada. Primeira: Ela é completamente doida da cabeça. Segunda: A bolsa dela estourou. E lá vai a correria. Toda a comitiva do enterro foi parar no hospital, pra visitar a mamãe. A sala de espera lotada, e eu lá, dando trabalho pra nascer, ela teve que fazer cesariana, mesmo comigo ainda não pronta totalmente. Ê, coisinha pra dar trabalho, essa que eu sou.

    Depois de oito horas de sofrimento por parte da mamãe: Nasce eu! Uma coisa cabeluda, meio ruiva, meio loira, e dos olhos azuis. Todo mundo dizia que eu fui o bebê mais bonito da enfermaria, não é legal? Bando de gente corujinha *-* Na verdade, eu era a coisa mais branca da enfermaria, isso sim. Eu sou tão branca que nem posso ficar no sol que eu tanto adoro, porque ele estraga minha pele e os meus olhos privados de melanina.

    Minha tia Kathryn deu a brilhante idéia do meu nome pra mamãe, depois de assistir um filme chamado ‘Onde Mora o Coração’, cuja personagem principal tinha o nome de Novalee. Eu sei que podia ser pior. Sabe por que? Porque no filme, a mulher tem um bebê, uma menina, e o nome que ela coloca é Americus. A-M-E-R-I-C-U-S. Viu como eu devo ser feliz e aceitar o meu nominho horroroso como ele é? Mas eu não sou, eu sou cara-de-pau (ironia cruel, longe de mim querer virar Pinóquio o.o) e reclamo mesmo u.u

    Depois disso, acho que as coisas são meio óbvias. Voltamos para Amsterdã, eu cresci, uma criança assustadoramente pequena e valente. Por que valente? Por exemplo, ao contrário de metade do mundo feminino (sem querer ser feminista, eu adoro o fato de ser mulher e de ser tão poderosa *-*), eu não tenho medo de insetos. Sério. Se uma barata, um rato, um besouro, ou algo do tipo, vier pra perto de mim, ou eu simplesmente finjo que não vi, ou eu pego o sapato e mato. E faço isso desde pequenininha. Aaaaahhh, tem uma aranha no banheiro! Lá vai a criatura baixinha que eu sou matar o treco. Até a minha mãe pede pra que eu dê um fim nas coisas estranhas que aparecem inesperadamente.

    Eu sou uma garota legal. Bonita, modéstia à parte. Gostosa também. Eu não vou mentir, os garotos falam isso de vez em quando. Pelo menos desde os meus dez anos. Azar o meu que um pouco depois eu já estava em Hogwarts, que nem mamãe. Bem, foi isso que eu pensei. Os meus amigos da escola são até piores que os holandeses. Meu único problema é a minha altura. E o meu rosto. Eu tenho cara de 13/14 anos, e já tenho 16. É meio frustrante. Não quando eu uso saia curta ou um vestido mais justo, mas mesmo assim. Menos de um metro e sessenta. Diacho de fita métrica.

    Há pouco tempo, eu ganhei a minha mais nova irmãzinha fofa, a raspinha do tacho de melado, a coisa loura e mega fófis que é a Ceci. Aqueles olhos azuis enormes que quase nem piscam quando eu faço gracinhas pra ela. Por enquanto ela só sabe falar Gugu-dadá, mas eu acho que ela evolui rápido. Ela bateu o recorde de criança que nasce mais cedo, olha só: Nasceu com seis meses e meio. Ainda assim, um bebê enorme. E tão branquelo quanto eu, ah, que vontade de apertar aquelas bochechas!

    Ao contrário da mamãe, eu fui pra Grifinória. E até pra quem era a mais nanica da turma, eu era invocada. Uma vez a professora me disse que eu não ia passar em Encantamentos. Acho que ela nunca se surpreendeu tanto. Duas semanas sem sono, estudando no dormitório e lá está, a maior nota da classe. Não é uma maravilha? Mexeu comigo, mexeu com o meu espírito rebelde e louquinho.

    Sobre o que mais eu posso falar? Ah, sobre os meus companheiros eternos. Eu adoro a Penélope. Acho que nunca vi uma guria tão louca quanto eu. Se eu pudesse, transformava ela em um bichinho de pelúcia e carregava ela pra todo canto (peraí, mas a gente não faz isso?), de tão fofa que ela é *-*

    Podem falar que eu sou louca. Podem me rotular. Podem dizer que o meu cérebro não rebula bem, que eu tenho parafusos a menos.

    Mas, como é que é mesmo o ditado? Quem não veio ao mundo para incomodar, não deveria vir ao mundo!



Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
The Ring
Trama/Narração
Trama/Narração
avatar

Mensagens : 344
Player : Will

Força : 10
Constituição : 10
Agilidade : 10
Inteligência : 10
Destreza : 10
Mira : 10

Warning :
Exp :
100 / 100100 / 100


MensagemAssunto: Re: Novalee Marie Lavender ~   Sex Nov 06, 2009 1:33 pm

Um Anel foi posto sob a mesa, assim que relastes nesse objeto mágico um filme de sua vida passou diante dos seus olhos, esta Horcruxe julgarás se estas apto a entrar nesse mundo mágico.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
The Ring
Trama/Narração
Trama/Narração
avatar

Mensagens : 344
Player : Will

Força : 10
Constituição : 10
Agilidade : 10
Inteligência : 10
Destreza : 10
Mira : 10

Warning :
Exp :
100 / 100100 / 100


MensagemAssunto: Re: Novalee Marie Lavender ~   Sex Nov 06, 2009 1:35 pm

Senhora Lavender:

Nenhum erro pude notar em sua ficha, então considere totalmente liberada.

“Que a ressurreição te encontre no momento que mais precisar dela”.

The Ring
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Novalee Marie Lavender ~   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Novalee Marie Lavender ~
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Ruas de Lavender Town
» Marie Antoinette - Toreador - Camarilla
» Tutorial KPDO Lavender City
» Taylor Marie Hill
» Cheiro de Fim, um conto sobre Marie Antoinette

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Horcruxes Rpg - Welcome to the new world :: Horcruxes Rpg :: Regras :: Cemitério-
Ir para: