Horcruxes Rpg - Welcome to the new world
 
InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Durante anos, a existência da magia e dos próprios bruxos fora mantida em segredo, com os cuidados do Ministério da Magia. Mas agora, algo ameaça isso que eles tanto prezam. O que pode acontecer se as opções escolhidas no passado colocarem em risco o futuro?

Nos últimos tempos, o controle de criaturas mágicas tem sido muito mais rígido, devido às ações de segurança do, então eleito, novo ministro da magia. Segundo ele, essas criaturas inferiores não necessitam de metade dos direitos impostos por seu antecessor.

Seguindo suas ordens, o Ministério passou a controlar o número de indivíduos de cada raça, assim como demarcar o seus territórios mais rigidamente. Com o controle e o território rigidamente estruturados, as condições foram de mal a pior, e como conseqüência algumas raças começaram a se rebelar.

A noticia da extinção de uma delas incentivou a criação de um grupo contra o ministério. O profeta diário, diz ser de fonte segura a informação publicada na edição do dia 29 de Setembro de 2052, a qual afirma que há no mínimo dois representantes de cada raça, aparentemente liderados por um centauro.

Murmúrios levaram os acontecidos até Azkaban, mesmo o ministro tentando pessoalmente abafar o caso. O movimento nas poucas celas ocupadas começaram a surgir, e pouco tempo depois houve uma inevitável fuga, ocasionada pela falta de atenção do ministério para com a vigilância de seus prisioneiros.

Apesar dos grandes esforços na busca, alguns deles ainda não foram encontrados, e por esse motivo o ministério precisou se manter alerta para este fato também. Os problemas começaram a surgir e estão cada vez pior, as esquinas nunca foram tão ameaçadoras. E agora, o Ministério sozinho já não é o suficiente.


Período - What's going on now?


Dia: 25/11/2052, Segunda-feira
Início do Período: 29/05/2010
Fim do Período: 25/07/2010
Tempo:
9°C, tempo frio e ventos leves, intensificados à noite.
Lua: Cheia
Ações: tempo livre dos alunos em Londres
Aulas: Período livre de aulas






Rodrigo
Felipe
Amily
William
Amanda
Ramires



Slytherin 149
Gryffindor 085
Ravenclaw 111
Hufflepuff 108




The Star

Sorata Matsuri
A pirralha. Dentre as pessoas ali ela seria a primeira que eu imaginaria negando-se a aparecer. Kamui rodou os olhos quando encerrei a conversa amigável que estávamos tendo e fui na direção da mesa. Do modo silencioso que me aproximei, seria improvável que ela tivesse notado minha aproximação, já que estava de costas.

- pensei que seria a última pessoa que veria por aqui... – comentei, quando estava próximo, cruzando os braços enquanto observava sua figura.


The Villain

Lúcifer Deimos
- Você agindo desta maneira me parece mais um gatinho acuado do que um anjo , Gabriel.

Lucifer riu da tentativa falha de gabriel de lhe assustar e com a mão que ainda lhe prendia voltou a lhe prender conta a parede desta vez apertando seu corpo contra a mesma, e fazendo com que a Varinha do Enkelis caísse no chão.

- Não precisa ter medo, deixe-me começar e você vai pedir por mais.


The Gentleman

Ongaku Matsuri
- Calma, calma... eu tenho um plano! - fez uma pausa imaginando que palavras usar - Você deve ter percebido que eu andei sumido por estes tempos, não? É por que eu estava treinando uma magia antiga, é uma técnica antiga que já foi usada por alguns bruxos muito poderosos para defender seus tesouros. - achou melhor não comentar que foi usado, também, para eliminar inimigos - Eu aprendi a fazer inferis! A frase saiu muito pior do que ele havia imaginado, agora ele parecia ser um maníaco. Magia das trevas, quebrar regras básicas do colégio e se colocar em risco. O mal estava feito, nada mais se podia fazer, a não ser esperar para ver o que o primo acharia disto.

The Lady

Júlia de Andrade
Mas antes de subir, encontrei com Seto. Ele parecia meio indeciso sobre de onde assistir o jogo e eu realmente tive de sorrir com isso. Ele era um grifinório, o natural seria torcer pelos vemelhinhos, mas Marcelo era um dos melhores amigos dele e primo e Akane... Bom Akane era a irmã dele.

Acho que realmente ficar na arquibancada da grifinória e acabar acidentalmente ouvindo alguém incitar um batedor a lançar um balaço nela não seria algo lá muito saudável para ele... Ou para quem disse tal coisa, óbvio.

- hn... Sabe, você podia esquecer da sua casa e subir comigo – disse apontando a arquibancada da corvinal. - melhor que ficar indeciso no meio do caminho. Eu sei que você vai acabar torcendo pelo Marcelo e a Akane de qualquer maneira... – disse dando de ombros.


The Comedy

Kimihiro Matsuri
Eu quero ver, quero quero quero quero quero! Nhaaa será que meu Onii-sama deixaria eu ver o caderninho dela? '0' Não custa perguntar né? Afinal, quem tem boca vaia a Roma, no caso, fala com o irmão misteriiii~

Logo ela saira da biblioteca e eu ficara sozinho com Sorata. Pela primeira vez no dia estávamos a sós e juntos. Assim pude fazer aquilo que eu queria fazer desde manhã cedinho. Abraçar meu irmão com força até esmagar ><'' Um abraço forte e quente era o que eu costumava dar em meu irmão quando estávamos juntos. Eu me sentia confortavel perto dele, protegido literalmente '0'

-Aquela pasta, me deixou confuso. Desde quando você escreve partituras? Não me contou algo assim, que cruel ;3;''


The Romance


Guilherme de Andrade e Gabriel Enkelis
- É só um abraço... Certo? – perguntou, um pouco de hesitação era visível no tom de sua voz o qual Gabriel provavelmente notou.

– Não Guilherme, é só um pretexto para eu te agarrar aqui mesmo e te beijar... – Disse Gabriel serio para Guilherme quando o mesmo questionou o seu pedido de abraço, depois um sorriso bem calmo apareceu no rosto do sextanista. – Brincadeira. - antes que se arrependesse da sua decisão ou Gabriel continuasse a falar, Guilherme encurtou a distância, o abraçando de uma vez.

Era ao mesmo tempo estranho, mas nostálgico. Parecia ao mesmo tempo certo e errado... E ele não conseguia definir aquela situação com palavras por que, sempre que tentava, elas pareciam contraditórias demais...


The Moment

Telbalt Yura
Logo ele notara que alguém começara a cair da vassoura. Mas que coisa, mal começara a temporada de Quadribol e Tebalt já teria a chance de atacar alguém que sanguraçe no meio do campo. Seria uma cena épica. O vampiro lutando para se controlar enquanto aquele sangue fresco escorrega sobre a grama molhada pela chuva de madrugada. Seria uma sensação de extremo agrado...Prazer. Afinal, não havia nada melhor que o sangue fresco de alguém.

-Será que ela chega ao chão...?-Falou bem baixinho e mentalmente torcia para que sim, queria sangue...Queria muito sentir o cheiro, só de pensar já começava a sofrer as alterações corporais.





Horcruxes Rpg


Para fazer parcerias com o nosso fórum, logue na conta Parcerias com a senha parceria123 e mande uma mp para The Locket com o link do seu fórum e o código do botton. Assim que o nosso for adicionado às parcerias, estaremos adicionando o seu:


Two-Way Mirror RPG The Requiem ImperiusNova EraGOD BLESS UMinistry Of Magic RPGPoint MeDrumstrang rpgFórum grátis



Horcruxes Rpg é hoje uma realização de Rodrigo, Will, Lipe, Vanne, Rami, Amily e Amanda. Nossos agradecimentos também a Bel e Miguel que nos ajudaram no início do fórum a tornar isso possível.

Layout do fórum por Amanda com imagens retiradas do site Deviantart. Código do css-base por esmé do RCR com modificações e adaptações feitas por Amanda.

O conteúdo, no entanto, foi baseado nas obras de J.K. Rowling, com adaptações para a trama e história do jogo, mas nós não temos nenhum lucro com isso.

Creative Commons License

Horcruxes Rpg © 2009

Compartilhe | 
 

 Hanna Himeki

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Hanna Himeki
Hufflepuff - 5º ano
Hufflepuff - 5º ano
avatar

Mensagens : 10
Player : Amanda-chan

Força : 2
Constituição : 4
Agilidade : 4
Inteligência : 4
Destreza : 5
Mira : 3

Warning :
Exp :
48 / 10048 / 100


MensagemAssunto: Hanna Himeki   Qua Nov 04, 2009 12:34 am

About Me

The Master


Nome: Amanda
Idade: 19
Contato: piscesamandachan@gmail.com
Quais os livros de Harry Potter que você já leu? Todos /o/
Quais os filmes da saga Harry Potter que você já assistiu? Todos também ^^
Já participou de outros fóruns de RPG? Quais? Você quer a lista toda? oõ Ok vamos lá... Fidelius Charm, Imperius Rpg, Marauders, Disendium rpg, Ojesed, The Réquiem, Cosmic Age, Another History, Prisma Rpg, Time Turners, Two-Way Mirror, Angels or Demons... É uma boa lista, não? Talvez eu tenha esquecido algum outro aí XD
Já possui outros personagens nesse fórum? Quais? Meu medalhão de Sly conta pra você ou os outros vários que tenho em mente de postar agora em seguida? XD


The Character

The Person Of We Speak In The Story


Nome: Hanna Himeki
Idade: 15 anos
Data de Nascimento: 19/03/2037
Local de Nascimento: Tóquio Japão
Ano escolar: 5º ano
Onde mora durante as férias: Londres, Inglaterra
Raça: Nascida-trouxa
Varinha: 25 cm, pelo de unicórnio, cerejeira, flexível, boa para feitiços e encantamentos
Possui algum animal de estimação? Qual? uma gata de pelagem branca e olhos amarelados chamada de Saki
Possui alguma habilidade ou item especial? Qual? nenhuma não /o/
Avatar: Moon Kana


Abilities

You Are Good In…


Força: 2
Constituição: 4
Agilidade: 4
Inteligência: 4
Destreza: 5
Mira: 3



House Selection

How Is Your Choice?


Hufflepuff, dos sinceros e leais



The Story

Once Upon A Time



    O casal Himeki era um casal normal de classe média japonesa, que não tinha nem o mínimo envolvimento com a magia, de origens totalmente trouxas. Natsuni Himeki era secretária em um escritório de advocacia no centro de Tóquio e Testu Himeki professor universitário de uma faculdade das redondezas. Tinham uma vida razoável, e o mais importante, se amavam muito. Era natural que quisessem constituir família ter filhos e tudo mais, mas este sonho demorou a se concretizar, porque Natsuni tinha problemas para engravidar, o que diminuía e muito as chances de que eles pudessem ter filhos.

    Claro que com a medicina avançada de hoje em dia isso poderia ser facilmente resolvido, mas eles não tinham dinheiro para pagar tratamentos caros, então não podiam contar com essa solução.

    Assim, quando finalmente Natsuni engravidou, a festa foi geral, afinal depois de tanto tempo finalmente o bebê que eles tanto queriam estava a caminho. Durante os primeiros quatro meses, Natsuni ainda trabalhou, mas depois acabou pedindo licença do trabalho por conta das inúmeras cobranças de Tetsu para que ela ficasse em casa descansando, porque seria melhor para ela e o bebê. A gravidez dela era realmente de risco, não é como se ele não tivesse razão em pedir isso então Natsuni aceitou, ficando em casa até o fim da gravidez.

    Enfim, depois de sete meses, mais cedo do que realmente era esperado pelo casal, a hora finalmente tinha chegado: O bebê ia nascer. Porém, no hospital, o médico avisou que seria um parto complicado, e que tanto Natsuni quanto o bebê correriam riscos. Depois de um tempo que pareceu uma eternidade para Tetsu, finalmente o bebê nasceu. Era um menino.

    Mesmo que Tetsu quisesse uma menina, ainda assim o recém nascido tinha sido obviamente muito bem vindo naquela família e não seria um detalhe como o sexo que faria com que os pais amassem menos do que já amavam aquela criança quando estava na barriga de Natsuni. O nome que deram ao menino foi Daisuke.

    O menino, por ter nascido prematuro, tinha certos problemas de saúde, mas muito menores do que os que o médico imaginara que o garoto tinha a princípio. Na realidade, para o médico, era surpreendente que um bebê prematuro se recuperasse tão rápido quanto o Daisuke se recuperava.

    Nenhum deles tinha como saber na realidade que o fato de ele ter se recuperado tão melhor que um prematuro comum tinha a ver com a magia que nenhum deles desconfiava que corria nas veias dele.

    No começo, uma boca a mais para se alimentar foi difícil de se administrar, mas a mãe de Tetsu, Arashi Himeki, ajudava como podia com o que sobrava da aposentadoria, e depois cuidado do neto enquanto Natsuni voltava a trabalhar.

    Bom, você se pergunta: Mas e então porque falamos de um garoto se a ficha se refere a uma garota? Bom, porque algum tempo depois, Natsuni descobriu estar grávida... Outra vez.

    A segunda gravidez não tinha sido esperada ou planejada, mas não leva-la adiante sequer passou pela mente do casal, mesmo que isso significasse tornar as finanças ainda mais apertadas, sendo que Daisuke tinha pouco mais de sete meses de vida.

    A segunda gravidez teve menos efeitos que a primeira com relação a mal estares de Natsuni durante os nove meses, que foram tranqüilos comparados com as tonturas e quedas de pressão que ela tinha durante a espera de Daisuke. O único problema mesmo veio na hora do parto, quando, uma complicação fez com que Natsuni agora viesse a ficar completamente estéril. A criança, no entanto, nasceu saudável e forte.

    Uma menina desta vez, para a alegria de Tetsu. Chamaram a pequena de Hanna Katsuki Himeki.

    Mal sabiam eles o que ainda estaria por acontecer na vida deles por causa daquele pequeno ser que dormia nos braços de Natsuni. Pelo menos naquele momento...

    Hanna cresceu como qualquer criança da sua idade, era alegre e espontânea, embora às vezes fosse um tanto desajeitada para algumas coisas e constantemente acabasse quebrando alguma coisa. Daisuke, como um bom irmão mais velho, costumava cuidar para que a pequena não se metessem em tantas confusões, embora ele mesmo fosse um tanto quanto inconseqüente, mesmo para um garoto com problemas respiratórios e alérgicos. Natsuni e Tetsu, no entanto, eram aqueles pais corujas, que sempre se preocupam com qualquer machucado que os filhos pudessem ter, então bem, ela causava uns bons sustos nos pais de vez em quando com seus tombos. Porém, para surpresa deles, tanto Hanna quanto Daisuke nunca se machucaram gravemente, o que eles agradeciam aos céus.

    Aos oito anos do mais velho, no entanto, algo começou a preocupá-los de verdade. Daisuke começara a fazer coisas... Bem... Um tanto improváveis.

    Eram pequenos incidentes aqui e ali, coisas que no início os pais ignoravam achando que não tinham visto direito, mas quando uma vez o menino se safou de ser atropelado pelo vizinho... Flutuando para fora do caminho não deu mais para ignorar aquilo.

    Com Hanna, aconteceu em seguida. Uma vez foram avisados na escolinha da menina que ela tinha... Bem, se é que isso é possível, tinha flutuado até o chão quando tinha caído de uma árvore na hora em que as crianças brincavam no pátio.

    Mas a mulher devia ter visto mal, né? Porque ninguém pode flutuar assim do nada... Pode? Mas então como Daisuke também o tinha feito? Haveria alguma explicação ou eles estavam ficando loucos?

    Porém as coisas estranhas continuaram acontecendo e a preocupação deles começou a aumentar. Afinal o que estava acontecendo? Parecia até magia... Mas magia a não existe, então como?

    Porém a resposta para suas respostas só foi respondida quando Daisuke fez 11 anos. Aos onze anos o primogênito dos Himeki recebeu a carta de uma tal de Academia de Magia. Academia de Magia? Claro que só podia ser uma brincadeira de mau gosto, mas eles tiveram de acreditar quando um bruxo, que era um dos professores da academia, foi conversar com eles.

    Porque fazia de repente todo o sentido tudo que acontecia de estranho com Daisuke desde os oito anos.

    Óbvio que Daisuke não hesitou em deixar claro o quanto ele queria ir estudar magia, mas Natsuni e Tetsu ficaram receosos. Será que deveriam deixar seu tesouro seu filho mais velho ir para uma academia de magia? Isso não podia ser perigoso?

    Mas, no fim, foi Arashi Himeki quem interveio na situação a favor do neto para que o casal concordasse em permitir que ele fosse estudar na academia. O garoto nunca agradeceu tanto a avó na vida por isso. E então a família Himeki ingressava pela primeira vez no mundo mágico. O professor que foi explicar sobre a escola lhes mostrou a Tóquio bruxa, onde poderiam encontrar tudo que precisariam comprar para os anos letivos.

    Tudo que ela via era novo e surpreendente naquele mundo novo que se abria. Hanna olhava tudo em volta pensando e imaginando se, quem sabe, no ano que seguinte não chegaria a sua própria chance de embracar naquele mundo tão diferente.

    Afinal ela não fazia coisas tão diferentes das do irmão, certo? Logo então talvez ela pudesse ter a chance de ir para a academia quando fizesse onze anos também...

    Se separar do mais velho durante um ano inteiro doeu em Hanna mais do que ela poderia esperar ou imaginar suportar. Os dois sempre tinham sido ligados e a separação mexeu muito com a caçula. Vê-lo apenas nos feriados não era o suficiente. Aquele ano parecia ter se arrastado, até que finalmente, no dia em que completou seus onze anos, assim como Dai, ela ficou esperando para ver se chegaria uma carta para ela. Aquela carta que permitiria que ela pudesse estudar na mesma escola que seu irmão novamente e que abriria para ela as portas a um mundo com o qual ela já tinha ficado maravilhada um ano atrás.

    Mas a carta não vinha e durante o dia todo ela esperou, até que à noite ela já tinha perdido quase toda a esperança e estava amuada com a cabeça encostada no vidro da janela, olhando para o lado de fora como fez o dia todo.

    Os pais viam o desapontamento da pequena, tentavam convence-la a sair de perto da janela, esquecer isso e pensar em outras coisas, mas a garota se recusava. Até que as batidas em um vidro da janela do outro lado da casa foram ouvidas. Afinal podia ter demorado, mas ela não se desapontara ao receber a mesma carta que Daisuke, só que agora endereçada a si.

    Foram alguns meses depois que o filho mais velho retornou da escola, e de cara já foi devidamente recepcionado pela caçula contando que também recebera carta e que iria para a mesma escola que ele no ano seguinte.

    Ir dessa vez à Tóquio mágica para comprar o seu próprio material pareceu-lhe ainda mais mágico que tinha sido sua primeira impressão do local. E, como animal de estimação, Hanna ganhou uma gata de pelagem branca e olhos amarelados a qual chamou de Saki.

    Enfim, depois de muita espera o dia de embarcar para a escola chegou e Hanna se admirava com cada coisa que ouvia sobre o lugar durante a viagem. Como acabou por se perder de Dai quando ele foi procurar uns amigos, mas em compensação, em um incidente um tanto quanto estranho com dois garotos que começaram a mexer com ela sem motivo, conheceu a pessoa que se tornaria seu melhor amigo. Era um garoto, dois anos mais velho que ela e vndo de uma família completamente bruxa. O nome dele? Hatori Matsuri.

    Os primeiros quatro anos de ensino de magia de Hanna ela sempre era vista com ele, o que no começo trouxe alguns problemas a ela com Daisuke, que não acreditava muito nas boas intenções do mais velho com a sua irmã, segundo ele por conta da família sobre a qual ele já tinha ouvido falar e não era muito amigável para com nascidos trouxas. Ainda assim os dois eram amigos inseparáveis, se bem que, durante seu terceiro ano... Bem, Hanna começou a perceber que não era apenas amizade o que sentia pelo outro.

    No fim do ano, quando houve um baile, Hanna resolveu tomar a iniciativa e revelar seus sentimentos. Não agüentava mais guardar aquilo para si. Foi lá que recebeu seu primeiro beijo. Mas também foi ali que teve a maior das decepções. Hatori lhe disse que não podia ficar com ela, porque não queria magoá-la, disse que gostava de uma outra pessoa e... Bem, ele tinha de dizer isso depois que ela já tinha se apaixonado tanto assim por ele?

    Por um tempo, ela se afastou dele, porque estava um tanto magoada e ele não procurou sua companhia, tampouco. Bom, mas isso tinha explicação. Segundo ele a família dele seria capaz de fazer muitas coisas ruins para ela se soubesse que havia alguma mínima chance de eles ficarem juntos, então depois daquele baile ele se afastou para meio que mostrar que não se importava. Mas não era só por isso que ele não podia ficar com ela, porque ainda havia a outra pessoa, que ele se recusava a dizer quem era.

    Porém, um dia, ele esqueceu seu caderno com ela, um caderno que ele meio que usava como diário... E bem, ela não resistiu em abrir e dar uma espiadinha. Se ao menos soubesse quem era a pessoa de quem Hatori gostava, bem, talvez pudesse se conformar...

    Foi então que ela descobriu sobre o maior segredo do garoto. E bom, ela meio que entendeu porque ele não poderia ficar com ela. Ele gostava do irmão! (é irmão mesmo, não irmã, irmão!)

    Hatori não ficou nem um pouco contente em descobrir que ela tinha lido seu diário, mas pelo menos depois de saber de quem Hatori gostava ela meio que superou um pouquinho o fato de ter sido rejeitada. Claro que pediu mil desculpas e, depois de muito esforço, conseguiu fazer Hatori perdoá-la e eles voltaram a serem amigos.

    Embora que, bem lá no fundo, ela ainda sinta algo a mais por ele, mas deixemos isso lá no fundo mesmo que é melhor, não?

    Mas com a história do diário os dois se esqueceram que a família de Hatori não ia gostar nada de ver que os dois continuavam inseparáveis (sim, porque a família nem imaginava que não havia perigo algum ali, e que o “problema” era outro...). As previsões de Hatori meio que foram certas e depois de umas boas ameaças por parte dos Matsuri à família, incluindo um atentado que quase tirou a vida do casal Himeki, Hanna se viu obrigada a deixar a escola, indo para longe de Hatori.

    Daisuke também precisou sair da academia, uma vez que a ameaça se estendia à família toda e com isso ele encheu os ouvidos da irmã dizendo como ele tinha avisado que os Matsuri eram perigosos e que melhor seria ela não se envolver com um fosse como fosse.

    Nenhum dos dois não queria desistir de estudar magia, então, com o encaminhamento de um professor, se informaram sobre outras escolas de magia que pudessem completar os estudos. O mesmo lhes falou sobre Hogwarts, uma escola inglesa que muito bem conceituada e de ótima qualidade de ensino. Assim, Daisuke e Hanna foram transferidos para Hogwarts em um processo sigiloso pelo vice-diretor e a família toda se mudou para a Inglaterra, deixando o Japão e a vida que tinham lá para trás sem avisos sobre para aonde iriam. Bom, Hanna e Hatori continuaram se comunicando, escrevendo cartas um para o outro em segredo das famílias, embora que ela não diga por motivo de segurança aonde estava estudando agora.

    Atualmente, Hanna está em seu quinto ano, o segundo que cursa em Hogwarts e ficou sabendo por uma carta de Hatori que ele também viria estudar ali naquele ano. Ela ainda não conseguiu falar com ele, mas acreditem que quando tiver a chance, bom, ela vai, no mínimo, dar um belo de um abraço nele, podem apostar...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
The Ring
Trama/Narração
Trama/Narração
avatar

Mensagens : 344
Player : Will

Força : 10
Constituição : 10
Agilidade : 10
Inteligência : 10
Destreza : 10
Mira : 10

Warning :
Exp :
100 / 100100 / 100


MensagemAssunto: Re: Hanna Himeki   Qua Nov 04, 2009 3:14 pm

Um Anel foi posto sob a mesa, assim que relastes nesse objeto mágico um filme de sua vida passou diante dos seus olhos, esta Horcruxe julgarás se estas apto a entrar nesse mundo mágico.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
The Ring
Trama/Narração
Trama/Narração
avatar

Mensagens : 344
Player : Will

Força : 10
Constituição : 10
Agilidade : 10
Inteligência : 10
Destreza : 10
Mira : 10

Warning :
Exp :
100 / 100100 / 100


MensagemAssunto: Re: Hanna Himeki   Qua Nov 04, 2009 3:16 pm

Liberada.

“Que a ressurreição te encontre no momento que mais precisar dela”.

O Anel
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Hanna Himeki   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Hanna Himeki
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Cosplay da Tsume Inuzuka
» Maya H. Fawcett - (717) 651-2385

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Horcruxes Rpg - Welcome to the new world :: Horcruxes Rpg :: Regras :: Fichas Aceitas :: Lufa-Lufa :: 5° Ano-
Ir para: